Quinta-feira, 2 de Agosto de 2007

Antigos amantes

 
 
Afinal ela sempre veio. 
Encontrámo-nos na praia...
Vinha linda. Já me tinha esquecido como ela era maravilhosa...
Da minha altura, cabelos louros, olhos azuis, peito cheio e umas pernas longas e bem feitas.
 
Fomos andando descalços pela praia...
Conversando sobre outros tempos, outras idades...
Casou muito depois de mim. 
Enviuvou muito cedo. Nunca mais teve ninguem. Sem filhos.
Viu a minha fotografia na Internet, juntamente com o número de telemóvel. Andou cerca de três dias a decidir-se se havia de telefonar ou não. Mal não fazia. Decidiu-se verdadeiramente quando reparou no estado civil "divorciado".
 
Confidência por confidência, fomo-nos aproximando de minha casa. Engraçado, sempre descalços....
Convidei-a para subir. Olhou para mim, muita séria e perguntou:
-Vamos relembrar velhos tempos?
Respondi-lhe, olhos nos olhos:
-Vou tentar, já não tenho a mesma idade, muita água já correu debaixo desta ponte.
Apreciou a sinceridade, e fez o reparo:
-estás diferente. Olhas nos olhos quando falas. Antigamente esquivavas o olhar, quando falavas comigo.
Pois...
 
Subimos ao 4º andar, sem nunca nos tocarmos, antecipando como iria ser o primeiro toque, o primeiro beijo...
Abri a porta de minha casa, e entrámos.
 
Sabes, Mariazinha? Não tenho nada para beber a não ser leite ou água.
Há catorze anos que deixei de beber.
Não faz mal! preciso mesmo de um copo de água para limpar a garganta, tenho aqui qualquer coisa que me põe rouca.
Trouxe-lhe um copo de água fresca.
Bebeu-a em pequenos golos, olhando directamente nos meus olhos.
Desejo, receio, mais desejo.
Recolhi o copo da sua mão cálida. Tocámo-nos, delicadamente. Não retirei a mão.
Um passo em frente...
Sempre olhos nos olhos...
Beijei-a...
Os lábios sabiam a rosas...
Toda ela cheirava bem.
Um cheiro inebriante que me transportou num rompante a um quarto de hotel em Lisboa, há trinta anos atrás.
Peguei-lhe na mão, e delicadamente puxei-a para o meu quarto.
  
Bem, o resto foi bom, muito bom. Mas fica para mim. Ponho à imaginação dos meus queridos e amigos leitores. Mas que lhes garanto que foi uma noite muito mal dormida foi.
Ou melhor, vimos os primeiros alvores pela janela do meu quarto.
 
MMR
sinto-me: Feliz
publicado por estreladosul às 02:22
link do post | Comente+que eu gosto | favorito
6 comentários:
De flor_incognita a 2 de Agosto de 2007 às 20:19
Hum...parece que o navio encontrou um novo porto!
Ui,ui!Caliente!
Beijinhos
De flor_incognita a 2 de Agosto de 2007 às 20:19
Hum...parece que o navio encontrou um novo porto!
Ui,ui!Caliente!
Beijinhos
De estrelanomar a 2 de Agosto de 2007 às 20:44
Bela história de amor.
Espero que tenha sido mesmo verdadeiro esse amor, que estejas muito feliz e que se repita por muitos anos, isto é a dar os parabéns...percebeste?

beijos estrelados
de
Belisa
De estreladosul a 2 de Agosto de 2007 às 21:15
Meninas a história muito real. Mas foi só uma noite. Ela voltou para Lisboa, onde tem toda a sua vida constitruida.

Obrigado pelos desejos.

Bjinho amigo

Mário Rodrigues
De sopro-do-coracao a 2 de Agosto de 2007 às 22:10
Ui! Ui! Que isso aqueceu...

Mais um bocadinho e consegues descrever tão bem, quanto eu (olhá modéstia, aqui da rapariga )

Jinhos...
De estreladosul a 2 de Agosto de 2007 às 22:42

Põe akeceu nisso. Foi mais uma noite dakelas. Como já te disse, foi somente um relembrar de outras noites, bem passadas.

Beijinho amigo

Mário Rodrigues

Comentar post

Conheça-me

Novembro 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

posts recentes

Diálogos com a Senhora da...

Diálogo com a Senhora da ...

Voando

Florescer

Manhã

Acreditar?

Momento

Caminhos da Vida...

Plantas

Diálogo com a Senhora da ...

arquivos

tags

todas as tags

Radio

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.

Visitantes

CURRENT MOON

subscrever feeds